Lesão Muscular Pós Cirurgia Posterior

A lesão muscular pós cirurgia posterior não se trata exatamente de uma doença da coluna, mas sim de uma sequela cirúrgica. A causa mais comum para esta condição é a lesão muscular provocada pela dissecção cirúrgica extensa. A cirurgia de coluna via posterior (pelas costas) é feita através de grandes incisões onde descolamos toda a musculatura paravertebral dos elementos ósseos posteriores e mantemos a retração do músculo por períodos prolongados. A extensa dissecção e a retração prolongada causam lesões musculares nos pequenos nervos que suprem a musculatura. Estes dois fatores são causadores de dor persistente após a realização de uma fusão posterior, pois produzem atrofia da musculatura e denervação dolorosa do músculo em questão.

A literatura é farta em descrições de pacientes que mesmo após terem obtido fusões sólidas no raio x, ainda permanecem com dor crônica, muitas vezes diferente da dor inicial. Esta situação vem sendo descrita como “fusion desease” ou em português: doença da fusão.

O músculo multifidus é o mais acometido pela lesão muscular e pela retração prolongada. O resultado destas alterações é uma fibrose e uma atrofia que reduzem a função do músculo. A denervação muscular decorrente da manipulação cirúrgica leva a uma perda de função muscular e dor crônica.

A partir desses achados iniciou-se o desenvolvimento de técnicas que agredissem minimamente o músculo. Foram criados acessos diferentes para a cirurgia de coluna, com pouca dissecção muscular. O cirurgião é capaz de realizar a mesma cirurgia feita pelo método aberto, através de pequenas incisões. Baseado nesses conceitos é que temos evitado a utilização das cirurgias posteriores.

Atualmente realizamos cirurgias pela via lateral e anterior o que nos mantém afastados de problemas provenientes da lesão muscular. Somente utilizamos a via posterior através de pequenas incisões para realização de fixações percutâneas ou mesmo descompressões. Com essas mudanças técnicas somos capazes de realizar intervenções cirúrgicas eficazes e com mínima agressão aos tecidos da coluna. O resultado positivo das técnicas é comprovado no índice zero de complicações relacionadas às lesões musculares.

Sendo a lesão muscular causada pelas grandes cirurgias, uma das causas de falha na cirurgia de coluna, temos que evitar as abordagens posteriores abertas e invasivas com o intuito de proporcionar uma melhor e mais rápida recuperação aos nossos pacientes.

Nós somos mini-invasivos na Clínica Refort.

Menor agressividade cirúrgica em benefício de nossos pacientes. 

Artigos relacionados

Dr. Juliano Lhamby é ortopedista especializado em Cirurgia de Coluna Minimamente Invasiva. Por dois anos realizou treinamento nos EUA no tratamento das doenças da coluna.
Leia Mais
Em breve!
Leia Mais

REDE CREDENCIADA

Loading map...

Loading

Tel: (11) 3501-3196

Dúvidas, sugestões, entre em contato com o formulário